29.4.10

Preconceito com o preconceito!!!

Vivemos em um mundo, onde as pessoas mais “esclarecidas” fazem questão de espalhar aos 4 ventos seus desapegos a qualquer coisa que seja tida como pré-conceito. Como se isso fosse mais um acessório Cult no meio de toda a sua bagagem desprendida e moderna.
Porém essa liberdade serve apenas para os preconceitos mais populares, como aos obesos, negros e homossexuais...
Talvez surja uma novela global apresentando as dificuldades de uma cadeirante e isso também seja mais um item a entrar na lista, mas esquecemos que existem milhares de outros preconceitos embutidos em atitudes do dia-dia, disfarçados de cotidiano.
Um exemplo disso: Duas moças no banheiro da empresa falando mal da chefe. A porta se abre e as duas param imediatamente de falar.
Entra no banheiro uma senhora com rodo na mão, de cabeça baixa e fazendo seu trabalho. As duas se olham e uma diz: -Ah! Não é ninguém, é só a moça da faxina...
Porra! Então a moça da faxina não é ninguém? Não tem olhos nem ouvidos pra poder ouvir as maldades que as duas falam sobre outras pessoas? Não possui inteligência o suficiente para poder espalhar pelos corredores o que as duas mocreias falam por trás da chefe? Seria uma bela oportunidade para se vingar de todo esse preconceito!
Isso sem falar no próprio preconceito que muitas pessoas possuem escancarados por ai. Aqueles que os próprios negros tem de si mesmo quando não vão a algum lugar, p q lá só tem branco.
Ou quando um gay diz que não vai ao seu aniversário p q a “balada é de hétero”.
Que porra de liberdade de expressão é essa se não podemos dizer que não gostamos de alguma coisa?
No dicionário está: Preconceito, conceito antecipado e sem fundamento razoável; opinião formada sem reflexão.
Porém até mesmo o uso da palavra está sendo errado. Preconceito hoje é quando você é barrado ou tratado com diferença por causa de alguma coisa que o outro não gosta.
E derrepente o Brasil “acorda para os infinitos problemas dos cadeirantes e esquece os cegos. Se lembra dos idosos e esquece das pessoas que tem deficiência mental e assim vai até que alguém coloque a boca no trombone e diga que é diferente, no meio de um planeta repleto de pessoas completamente diferentes...
E então todos querem andar aos beijos independente do meio onde estão. Mas não para demonstra afeto e sim para chocar.
Porque os seus avós e bisavós ainda ficam surpresos quando vc aparece em casa com um namorado que tem alargador e tatuagens. Acham uma pouca vergonha vc beijar na boca na frente deles...
Mas vc, tão jovem, moderno e descolado, não tem o direito de se sentir constrangido quando um casal homossexual se atraca no meio de um bar.
Da mesma forma que ficaria constrangida com um casal hetero dando o mesmo malho no mesmo bar.
A questão não é que é um casal de gays. A questão é que existe drive-in, motel e lugar para determinadas cenas, onde ninguém mais é obrigada a participar, a menos que queira ( o tal lance da liberdade).
E então todos se juntam, promovem um beijaço no meio de um shopping ou um bar qualquer e se beijam por meia hora em forma de protesto.
Porque não fazem isso no meio da torcida do corinthias? Chocaria muito mais e então o seu objetivo seria atingido com mérito.
Ser livre é poder dizer que não gosta de uma coisa, o outro dizer que não gosta de outra e todos se respeitarem e viverem pacificamente, sem tentar enfiar goela a baixo suas opiniões só p q até um certo momento da humanidade ela foi tabu, ou se está em condições muitos diferente da maioria.
Assim como as pessoas muito cheias de conhecimentos são preconceituosas com erros que para elas são ridículos. Assim como os vegetarianos se sentem superiores e mais desenvolvidos do que os carnívoros, sempre existirá alguém que defenda fervorosamente suas idéias ou use o seu “diferencial”para se auto promover ou chocar.
Sempre existiram pessoas conservadoras, que podem continuar com suas opiniões congeladas... ou não!
Democracia, liberdade, livre-arbítrio...Tudo isso existe para todos, mas poucos sabem defender seus ideais sem tentar impor á todos.
Eu sou livre para gostar ou não, concordar ou não e ter preconceito se assim quiser, p q por mais correto que soe, sempre teremos um preconceito sobre algo, á partir do momento que tomamos partido de um lado, sendo ele qual for. Isso sim é ser livre do atual preconceito!

4 comentários:

30 e poucos anos. disse...

Evolução de conhecimento não se conta...se demonstra
Liberdade de expressão nem sempre é sair falando o que der vontade pois assim vc stará magoando e ferindo outras pessoas

Leonardo Marques disse...

A última frase foi a exencial: "sempre teremos um preconceito sobre algo, á partir do momento que tomamos partido de um lado, sendo ele qual for. Isso sim é ser livre do atual preconceito!"
Até que luta contra preconceitos, tem seus preconceitos.
Mas ai é só a Globo fazer uma novela contendo algum preconceito que ele é tratado com mais cuidado.

Érica disse...

Confesso que concordo com você - EM PARTE. Vivemos em um mundo plural onde a Diversidade existe, independente se a aceitamos ou não.

Os preconceitos sempre existiram e sempre existirão, sejam eles sociais, raciais, geracionais, de gêneros, de orientação sexual, etc. Porém muitas vezes só vemos o que queremos ver, fechando os nossos olhos para as mazelas, ignorâncias e sofrimentos que não nos interessam.

Eu, pessoalmente, acho que o respeito é algo essencial no mundo. Toda pessoa merece ser respeitada, independente da roupa que veste, da música que ouve, dos estudos que tem ou não, da forma como se comporta, da maneira como se expressa, da profissão, das crenças, dos ideais,da raça/cor, do sexo, da orientação sexual, etc.
Eu respeito a todos, mas muitas e MUITAS E MUITAS VEZES, não fui respeitada, fui ignorada, fui desprezada, discriminada, insultada, etc, etc, etc, só pelo fato de amar outra mulher e por isso luto contra toda forma de discriminação...

Cada um tem liberdade de ser o que é.

Sandro Batista disse...

Tenho um conceito sobre o preconceito. Na minha opinião, não existem preconceito contra preto, ou branco, ou gay, ou hétero, ou cadeirante, ou cego, ou feio ou bonito. Existe o preconceito social! Se o preto é rico, é um negro lindo. Se o gay é famoso, é um homossexual bem resolvido. Se o preto é pobre, é um favelado, ou analfabeto, ou até, suspeito... Se o gay é pobre, é uma "bichinha"... A sociedade adere às campanhas que estão na moda, e acha lindo a Aline Moraes no belo papel de uma cadeirante rica... Agora eu quero ver alguém no dia a dia, ver um cadeirante tentando atravessar uma rua, ou entrar num ônibus, e se propor a ajudar! A menos que seja a Aline Moraes, dificilmente alguém se dará conta... Será apenas algum "aleijado", e mais, de repente querendo pedir dinheiro pra alguma campanha!

Boa reflexão a sua!

http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/