7.4.10

TV


Vou falar sobre isso, porque não agüento mais ver, nem ouvir sobre. Gostaria de poder ter o livre arbítrio de mudar de canal, ou de estação de rádio para ver outra coisa, mas vai além dos botões de meu controle.
Até onde vai o gosto pela carnificina???
Como podem dizer que os homens evoluíram se só deixaram de ir ao Coliseu, para ficar em suas próprias casas e assistir á espetáculos bárbaros televisionados.
Se uma criança for morta e não nos escandalizarmos é porque perdemos o resto de humanidade e solidariedade que temos.
Mas precisa tanto? Será que todos estão interessados na resolução dos casos, ou é mais fácil bisbilhotar a história e poupar os neurônios mirrados dos produtores e jornalista???
Enquanto isso, eles ficam mais ricos, nós mais acostumados com as crueldades e barbaridades sem solução..afinal...não há jeito pra morte!!!!
Assim como não há muito o que se fazer vendo as catástrofes “naturais” acontecerem por todos os lados.... enquanto estão todos alagados..boiando como barquinhos de papel, a mídia sobrevoa com seus urubus eletrônicos pra poder prender atenção dos telespectadores.
Se questionados...eles dizem que isso é informação....

2 comentários:

- sr canp disse...

Eu fiz uma redação sobre isso esses dias, não me lembro de ter falado mais de uma qualidade, sabe qual era? O fato de ser gratis...

Est nos.
www.pizaviee.blogspot.com

Diogo C. Scooby disse...

As pessoas gostam do lixo que passa na TV, nossa indignação serve apenas pra gente se aliviar. Eu mesmo escrevi um post muito raivoso sobre BBB e foi legal, mas sei que ninguém vai deixar de ver.
Mas uma coisa é certa..A gente sempre tem uma opção.
Tem uma música do Raul que começa assim:
"Se O Rádio Não Toca!
A música que você quer ouvir
Não procure dançar
Ao som daquela
Antiga valsa
Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não!
Não! Não! Não! Não!...

É muito simples!
É muito simples!
É só mudar a estação"

Eu acho que é assim , e digo mais. Se as outras "radios" não passam nada que preste, desliga" Vamos fazer algo que preste e deixa a urubuzada ai!

Abraço.